Livraria Cultura

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

A vida – Poema de Mário Quintana



A vida são deveres que nós trouxemos pra fazer em casa.
Quando se vê já são seis horas;
Quando se vê, já é sexta-feira;
Quando se vê, já terminou o ano;
Quando se vê, passaram-se 50 anos!
E agora, é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada inútil das horas.
Dessa forma eu digo, não deixe de fazer algo que gosta devido a falta de tempo,
a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais!
Mário Quintana
http://www.cuidardeidosos.com.br/a-vida-poema-de-mario-quintana/

Música para curtir - A estrada - Cidade Negra


Você não sabe
O quanto eu caminhei
Pra chegar até aqui
Percorri milhas e milhas
Antes de dormir
Eu nem cochilei
Os mais belos montes
Escalei
Nas noites escuras
De frio chorei, ei , ei
Ei! Ei! Ei! Ei! Ei!...(2x)
A vida ensina
E o tempo traz o tom
Pra nascer uma canção
Com a fé do dia a dia
Encontro a solução
Encontro a solução...
Quando bate a saudade
Eu vou pro mar
Fecho os meus olhos
E sinto você chegar
Você, chegar...
Psicon! Psicon! Psicon!
Quero acordar de manhã
Do teu lado
E aturar qualquer babado
Vou ficar apaixonado
No teu seio aconchegado
Ver você dormindo
E sorrindo
É tudo que eu quero pra mim
Tudo que eu quero pra mim...
Quero!
Quero acordar de manhã
Do teu lado
E aturar qualquer babado
Vou ficar apaixonado
No teu seio aconchegado
Ver você dormindo
É tão lindo
É tudo que eu quero pra mim
Tudo que eu quero pra mim...
Você não sabe
O quanto eu caminhei
Pra chegar até aqui
Percorri milhas e milhas
Antes de dormir
Eu nem cochilei
Os mais belos montes
Escalei
Nas noites escuras
De frio chorei, ei , ei
Ei! Ei! Ei! Ei! Ei!...
Together..Together..
Meu caminho só meu pai
Pode mudar
Meu caminho só meu pai
Meu caminho só meu pai...
Together..Together..(2x)
http://letras.mus.br/cidade-negra/45268/

O mundo cor de rosa de Fernando Pessoa


Fernando Pessoa 
 Do seu longínquo reino cor-de-rosa
 
Do seu longínquo reino cor-de-rosa,
Voando pela noite silenciosa,
A fada das crianças vem, luzindo.
Papoulas a coroam, e , cobrindo
Seu  corpo todo, a tornam misteriosa.
À criança que dorme chega leve,
E, pondo-lhe na fronte a mão de neve,
Os seus cabelos de ouro acaricia  -
E sonhos lindos, como ninguém teve,
A sentir a criança principia.

E todos os brinquedos se transformam
Em coisas vivas, e um cortejo formam:
Cavalos e soldados e bonecas,
Ursos e pretos, que vêm, vão e tornam,
E palhaços que tocam em rabecas...

E há figuras pequenas e engraçadas
Que brincam e dão saltos e passadas...
Mas vem o dia, e, leve e graciosa,
Pé ante pé, volta a melhor das fadas
Ao seu longínquo reino cor-de-rosa. 
http://www.revista.agulha.nom.br/fpessoa140.html

Nada mais romântico para curtir essa noite caliente


O barquinho

(Ronaldo Boscoli)

Dia de luz, festa de sol
e um barquinho a deslizar
No macio azul do mar.
Tudo é verão e o amor se faz
Num barquinho pelo mar que desliza sem parar
Sem intenção, nossa canção
vai saindo desse mar e o sol
Beija o barco e luz... Dias tão azuis...
Volta do mar, desmaia o sol,
E o barquinho a deslizar,
É a vontade de cantar...
Céu tão azul, ilhas do sul,
E o barquinho é o coração deslizando na canção
Tudo isso é paz, tudo isso traz
Uma calma de verão, e então
O barquinho vai, e a tardinha cai
Volta do mar, desmaia o sol,
E o barquinho a deslizar,
É a vontade de cantar...
Céu tão azul, ilhas do sul,
E o barquinho é o coração deslizando na canção
Tudo isso é paz, tudo isso traz
Uma calma de verão, e então
O barquinho vai, e a tardinha cai
O barquinho vai, e a tardinha cai
O barquinho vai, e a tardinha cai 

A vida é feita de cores e formas

"Ver a vida, as pessoas, as formas... é um 

detalhe. 

Mas, 

Viver de bem com a vida, amando as 

pessoas, de todas as formas, é um detalhe 

que faz toda diferença!"

Florbela Espanca


Perdi os Meus Fantásticos CastelosPerdi meus fantásticos castelos 
Como névoa distante que se esfuma... 
Quis vencer, quis lutar, quis defendê-los: 
Quebrei as minhas lanças uma a uma! 

Perdi minhas galeras entre os gelos 
Que se afundaram sobre um mar de bruma... 
- Tantos escolhos! Quem podia vê-los? – 
Deitei-me ao mar e não salvei nenhuma! 

Perdi a minha taça, o meu anel, 
A minha cota de aço, o meu corcel, 
Perdi meu elmo de ouro e pedrarias... 

Sobem-me aos lábios súplicas estranhas... 
Sobre o meu coração pesam montanhas... 
Olho assombrada as minhas mãos vazias... 

Florbela Espanca, in "A Mensageira das Violetas"

Tema(s): Ilusão Ler outros poemas de Florbela Espanca http://www.citador.pt/poemas/perdi-os-meus-fantasticos-castelos-florbela-de-alma-conceicao-espanca

Feliz 2013...


Agradeço a Deus pelo ano que está indo embora, apesar das tristezas e tragédias no mundo, agradeço pelo Dom da vida. Devemos nos curvar em oração por um ano melhor. A oração nos permite acreditar que tudo vai dar certo e nos leva ao encontro de Deus através da Fé. Obrigada Jesus por tantos amigos, juntos compartilhamos momentos, sonhos, tristezas e realizações. Beijos!!

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Salmo 95 - Cantemos ao Senhor


1. Cantai ao Senhor um cântico novo. Cantai ao Senhor, terra inteira.
2. Cantai ao Senhor e bendizei o seu nome, anunciai cada dia a salvação que ele nos trouxe.
3. Proclamai às nações a sua glória, a todos os povos as suas maravilhas.
4. Porque o Senhor é grande e digno de todo o louvor, o único temível de todos os deuses.
5. Porque os deuses dos pagãos, sejam quais forem, não passam de ídolos. Mas foi o Senhor quem criou os céus.
6. Em seu semblante, a majestade e a beleza; em seu santuário, o poder e o esplendor.
7. Tributai ao Senhor, famílias dos povos, tributai ao Senhor a glória e a honra,
8. tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome. Trazei oferendas e entrai nos seus átrios.
9. Adorai o Senhor, com ornamentos sagrados. Diante dele estremece a terra inteira.
10. Dizei às nações: O Senhor é rei. E (a terra) não vacila, porque ele a sustém. Governa os povos com justiça.
11. Alegrem-se os céus e exulte a terra, retumbe o oceano e o que ele contém,
12. regozijem-se os campos e tudo o que existe neles. Jubilem todas as árvores das florestas
13. com a presença do Senhor, que vem, pois ele vem para governar a terra: julgará o mundo com justiça, e os povos segundo a sua verdade.
Bíblia Ave Maria - Todos os direitos reservados.


Leia mais em: http://www.bibliacatolica.com.br/01/21/95.php#ixzz2G77pq3mP


Leia mais em: http://www.bibliacatolica.com.br/01/21/95.php#ixzz2G77bPDzY

Dona Canô

Imagem Internet












Temos mais uma estrelinha no céu.
Minha homenagem especial a uma mulher maravilhosa, mãe de oito filhos, entre eles duas estrelas da música popular brasileira Caetano Veloso e Maria Bethânia, que eu sempre admirei muito. Muita Paz e Conforto espiritual para todos que a amavam.

O blog Sol De Girassol deseja a todos um Feliz Natal.....

Meu neto querido portador dos votos do meu desejo de um Feliz Natal para todos!!

"O Natal é uma época do ano em que as pessoas de todas as religiões estão juntas para adorar Jesus Cristo."- Nancy Cartwright

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Leiam a Bíblia Sagrada...ela é o testemunho vivo do amor de Cristo por nós. Fé e Força.


Você diz: “Isso é impossível”
Deus diz: “Tudo é possível” (Lucas 18:27)

Você diz: “Eu já estou cansado”
Deus diz: “Eu te darei o repouso” (Mateus 11:28-30)

Você diz: “Ninguém me ama de verdade”
Deus diz: “Eu te amo” (João 3:16 & João 13:34)

Você diz: “Não tenho condições”
Deus diz: “Minha graça é suficiente” (II. Corintos 12:9)

Você diz: “Não vejo saída”
Deus diz: “Eu guiarei teus passos” (Provérbios 3:5-6)

Você diz: “Eu não posso fazer”
Deus diz: “Você pode fazer tudo” (Filipenses 4:13)

Você diz: “Estou angustiado”
Deus diz: “Eu te livrarei da angustia” (Salmos 90:15)

Você diz: “Não vale a pena”
Deus diz: “Tudo vale a pena” (Romanos 8:28)

Você diz: “Eu não mereço perdão”
Deus diz: “Eu te perdôo” (I Epistola de São João 1:9 & Romanos 8:1)

Você diz: “Não vou conseguir”
Deus diz: “Eu suprirei todas as suas necessidades” (Filipenses 4:19)

Você diz: “Estou com medo”
Deus diz: “Eu não te dei um espírito de medo” (II. Timóteo 1:7)

Você diz: “Estou sempre frustrado e preocupado”
Deus diz: “Confiai-me todas as suas preocupações” (I Pedro 5:7)

Você diz: “Eu não tenho talento suficiente”
Deus diz: “Eu te dou sabedoria” (I Corintos 1:30)

Você diz: “Não tenho fé”
Deus diz: “Eu dei a cada um uma medida de fé” (Romanos 12:3)

Você diz: “Eu me sinto só e desamparado”

Deus diz: “Eu nunca te deixarei nem desampararei” (Hebreus 13:5)
Biblia sagrada
http://pensador.uol.com.br/pensamentos_biblicos/6/

Salmo 124:8

O nosso socorro está em o nome do Senhor, criador do céu e da Terra.

Joelmir Beting traduzia a economia para toda a população...

Jornalista, comentarista de economia e política do Grupo Bandeirantes, Joelmir Beting morreu na madrugada desta quinta-feira (29) à 0h55 em São Paulo. Ele sofreu um acidente vascular encefálico hemorrágico no domingo, considerado "irreversível". A notícia da morte do jornalista comoveu artistas e colegas de profissão. "Ele foi o melhor jornalista que um filho pode ter como pai", lamentou seu filho Mauro Beting, que recebeu a notícia quando trabalhava na Rádio Bandeirantes e a veiculou ao vivo.

http://televisao.uol.com.br/noticias/redacao/

Profissional competente, ser humano simples, bem humorado e de bom coração, e principalmente um pai, esposo , avó maravilhoso e dedicado.  Vai deixar um vazio no jornalismo brasileiro. Valeu Joelmir!!

- Textos bíblicos -

Felizes são os que ouvem a palavra de Deus e a guardam! Lucas 11:28

Oração da Noite

Deus vivo seja comigo
Deus morto seja meu corpo
Deus sacramentado seja na minha cama deitado
Deus Pai que me criou
Deus Filho que me remiu
Deus Espírito Santo que me santificou
Deus Pai abençoe as minhas palavras
Deus Filho abençoe as minhas obras
Deus Espírito Santo abençoai meus pensamentos.
Amém Jesus.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Falando sobre estilistas famosos. Hoje...BALENCIAGA (1895-1972)

Cristóbal Balenciaga nasceu em 1895 na região Basca espanhola. Descoberto aos 12 anos, desenhou um vestido para uma marquesa, e foi convidado para ser aprendiz de alfaiate em Madri. Aos 20 e poucos, já tinha sua casa de alta-costura. Aos 52, mesmo tendo clientela fiel em Madri, muda-se para Paris. Lá, apresentou sua primeira grande coleção, muito bem recebida. Atraiu celebridades e damas da sociedade, que corriam para o nº 10 da Avenida George V em busca do corte e acabamento perfeitos do estilista. Habilidoso, desenhava, cortava e costurava com perfeição as peças com o ar dramático que definiu seu estilo. Criou modelos de festa incríveis, abrigos de chuva impermeáveis e uma variedade infinita de vestidos, boleros, e outras peças. O auge veio nos anos 50 e no final da década lança sua versão do terninho feminino, com paletó curto e saia de cintura alta. Encerrou a carreira em 1968, após criar uniformes para a empresa aérea Air France e lançar uma última coleção. Aposenta-se e volta à Espanha, depois de mais de 30 anos de sucesso e inovação na moda. Uma cliente, a Condessa Mona Bismark, chegou a se trancar em casa por três dias de tanto desgosto ao saber da aposentadoria do arquiteto da moda. Balenciaga morre em 1972 e seu nome só reaparece em 1978, na aquisição da marca por um grupo financeiro. Em 1995, o estilista Nicolas Ghesquière chegou para cuidar dos acessórios da marca e seu talento o levou à direção da criação, dois anos depois. Em 2001, Ghesquière comprou a Balenciaga em parceria com o grupo Gucci, e a dirige com pulso firme, revivendo o prestígio e respeito que a casa teve em seus anos dourados. 
Vestido de noiva de uma só costura, criado por Balenciaga em 1967.
Imagem internet


segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Eu ergo a Bandeira Branca da Paz...E você?

A você dedico meu coração.
Você vai pensar, porquê?
Pense comigo: O que temos de mais sagrado não são os nossos sentimentos?
Fé, Amor, Carinho, Ternura, Alegria, Tristeza, Rancor, Dor, Solidão, Prazer, Imaginação....somos movidos por milhões de sentimentos.
Diante de tanta frieza, amargura, tragédia, violência, desapego...ocorrendo a nossa volta, rondando nossos lares, nossas vidas, famílias e amigos, o melhor que podemos fazer é dedicar o nosso melhor.
Dedico a você, que pode dedicar a outra pessoa...e assim sucessivamente.
Com Deus, acima de tudo, guiando nossos passos, nossos melhores sentimentos podem e fazem a diferença.
Precisamos enxergar o mundo com bons olhos, de coração aberto e termos disposição para nos doarmos. Não podemos acreditar que Jesus sofreu, foi humilhado na cruz, por nada.
Quero a certeza que a sementinha do bem está plantada dentro do coração de cada um de nós.
Estamos precisando apenas de mais água, luz, calor, adubo e amor.
Acredite, não é sonho, ou utopia minha é a FÉ QUE MOVE E REMOVE MONTANHAS, que me move, me toca para continuar acreditando.
Desculpe-me pelo desabafo, ou pelo apelo, mas é que eu acho a vida maravilhosa, o mundo tão belo, e  me recuso a  acreditar que nós, seres humanos falhos e pecadores, vamos fazer tudo isso acabar em dor.
Jesus nos ensinou o perdão, somos perdoados constantemente por Ele, precisamos nos permitir sermos restaurados e modificados, para transformamos a realidade.
Precisamos reagir e agir, acreditar que cada um nós tem o dom da transformação e podemos fazer a diferença. Dedique seus melhores sentimentos a tudo e a todos e você vai sentir a diferença.

Eu ergo a bandeira branca. A bandeira branca da 

Paz.






E você?

poema de Cora Coralina.........Das pedras

Rua de Perugia - Itália
Imagem internet
Ajuntei todas as pedras
Que vieram sobre mim
Levantei uma escada muito alta
Eno ato subi
Teci um tapete floreado
E no sonho me perdi
Uma estrada,
Um leito,
Uma casa,
Um companheiro,
Tudo de pedra
Entre pedras
Cresceu a minha poesia
Minha vida...
Quebrando pedras
E plantando flores
Entre pedras que me esmagavam
Levantei a pedra rude dos meus versos.


Auguste Rodin...


...era um francês escultor . Apesar de Rodin é geralmente considerado o progenitor da escultura moderna, [ 1 ] que ele não partiu para se rebelar contra o passado. Ele foi educado tradicionalmente, teve uma abordagem artesão-como a sua obra, e pediu o reconhecimento académico, [ 2 ] embora ele nunca foi aceito na escola mais importante de Paris de arte.
Escultural, Rodin possuía uma capacidade única para modelar um complexo, superfície, turbulento profundamente embolsou em argila . Muitas de suas esculturas mais notáveis ​​foram bastante criticado durante sua vida. Eles entraram em confronto com a tradição predominante figura escultura, em que obras foram decorativo, estereotipada, ou altamente temática.
Trabalho mais original de Rodin partiu de temas tradicionais da mitologia e alegoria , modelado o corpo humano com realismo , e comemorou o caráter individual e fisicalidade. Rodin foi sensível à controvérsia em torno de seu trabalho, mas se recusou a mudar seu estilo. Sucessivas obras trouxe favor crescente do governo e da comunidade artística.
Do realismo inesperada de sua primeira grande figura - inspirado por sua viagem à Itália 1875 - para os memoriais não convencionais cuja comissões ele procurou mais tarde, a reputação de Rodin cresceu, de tal forma que ele se tornou o escultor francês proeminente de seu tempo. Em 1900, ele era um artista de renome mundial. Ricos clientes privados procuraram trabalho de Rodin depois de sua Feira Mundial de exposição, e ele fazia companhia com uma variedade de alto perfil intelectuais e artistas. Ele se casou com seu companheiro ao longo da vida, Rose Beuret, no último ano de vida de ambos. Suas esculturas sofreu um declínio na popularidade após a sua morte em 1917, mas dentro de algumas décadas, o seu legado solidificado. Rodin continua a ser um dos poucos escultores conhecidos fora da comunidade das artes visuais.
Rodin O Pensador (1879-1889) está entre as obras mais reconhecidas de toda a escultura.
imagem - wikipedia

Fonte - http://en.wikipedia.org/wiki/Auguste_Rodin

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Flores para meus entes e amigos que partiram...e deixaram saudades!!



Imagem Internet
Imagem Internet

imagem Internet
Imagem Internet

Imagem Internet
"Sentimos saudade de certos momentos da nossa vida e de certos momentos de pessoas que passaram por ela."
Carlos Drummond de Andrade

Devemos celebrar a vida das pessoa queridas que faleceram...

"O Senhor Jesus Cristo diz: "Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente..." (João 11.25-26). 

 "...se alguém guardar a minha palavra, não verá a morte, eternamente." Se bem que o corpo adormece, o espírito daquele que crê em Jesus continua vivendo." (João 8.51)

"Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei." (Salmo 91)


imagem internet
O dia de Finados só começou a existir a partir do ano 998 DC. Foi introduzido por Santo Odilon, ou Odílio, abade do mosteiro beneditino de Cluny na França. Ele determinou que os monges rezassem por todos os mortos, conhecidos e desconhecidos, religiosos ou leigos, de todos os lugares e de todos os tempos. Quatro séculos depois, o Papa, em Roma, na Itália, adotou o dia 2 de novembro como o dia de Finados, ou dia dos mortos, para a Igreja Católica.
O costume de rezar pelos mortos nesse dia foi trazido para o Brasil pelos portugueses. As igrejas e os cemitérios são visitados, os túmulos são decorados com flores, e milhares de velas são acesas.
Fonte: www.cacp.org.br

domingo, 14 de outubro de 2012

Fernando Pessoa





"HÁ DUAS FORMAS PARA VIVER A SUA VIDA:UMA É ACREDITAR QUE NÃO EXISTE MILAGRE.A OUTRA É ACREDITAR QUE TODAS AS COISAS SÃO UM MILAGRE."
COMPLEMENTANDO: E O MAIOR MILAGRE É O DOM DA VIDA, CONCEDIDO POR DEUS.

Como dizia o poetinha...

Ganhei da minha norinha Cris Flor do Mar

Quem já passou por essa vida e não viveu
Pode ser mais, mas sabe menos do que eu
Porque a vida só se dá pra quem se deu
Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu
Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, não
Não há mal pior do que a descrença
Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão
Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair
Pra que somar se a gente pode dividir
Eu francamente já não quero nem saber
De quem não vai porque tem medo de sofrer
Ai de quem não rasga o coração, esse não vai ter perdão
Quem nunca curtiu uma paixão, nunca vai ter nada, não
Vinícius de Moraes

Status de felicidade plena


Boa Tarde, queridos!!

Ontem foi meu niver, ganhei uma festinha surpresa dos meus netinhos, filhos e genro. Fizeram a maior bagunça, com direito a dança da minha neta bailarina, brincadeiras e tudo mais.

Meus netos me trazem uma alegria diferente, diferente de tudo que já vivi e olha que eu já fui muito feliz, tive momentos tristes sim, mas graças a Deus meus coração é forte e armazena sempre a melhor parte, o melhor sentimento. Agradeço a Deus pela minha vida feliz.

Feliz também por saber que sou uma pessoa abençoada por Deus, querida e amada por meus amigos virtuais reais. Só tenho a agradecer por tantas Graças alcançadas, pelos meus filhos e netos, pelos meus familiares e amigos e pelo Dom do amor. Obrigada pelo carinho especial. 
Muitos Beijos ... Deus nos abençoe.

HUMMMM QUE DELÍCIA, COMO NÃO PODERIA ESQUECER DE VOCÊS, TROUXE BOLO PARA COMEMORARMOS...BEIJOOOOOOOOOSSSS



sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Santo Anjo do Senhor...Protegei as nossas crianças!!

imagem internet


Santo Anjo do Senhor,
meu zeloso guardador,
se a ti me confiou a piedade divina,
sempre me rege,
me guarda, me governa
me ilumina
Amém.




Versão em Latim 
Angele Dei,
qui custos es mei,
me, tibi commissum pietate superna,
hodie illúmina, custódi,
rege et gubérna.
Amen.

Cecília Meireles para as crianças....

Leilão de Jardim
(Cecília Meireles)

Quem me compra um jardim com flores?
borboletas de muitas cores,
lavadeiras e passarinhos,
ovos verdes e azuis
nos ninhos?
Quem me compra este caracol?
Quem me compra um raio de sol?
Um lagarto entre o muro e a hera,
uma estátua da Primavera?
Quem me compra este formigueiro?
E este sapo, que é jardineiro?
E a cigarra e a sua canção?
E o grilinho dentro do chão?
(Este é meu leilão!)

%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%



A Canção dos Tamanquinhos
(Cecília Meireles)

Troc... troc... troc... troc...
ligeirinhos, ligeirinhos,
Troc... troc... troc... troc...
vão cantando os tamanquinhos...


Madrugada. Troc... troc
pelas portas dos vizinhos
vão batendo, troc... troc...
vão cantando os tamanquinhos...

Chove. Troc... troc... troc...
no silêncio dos caminhos
alagados, troc... troc...
vão cantando os tamanquinhos...

E até mesmo, troc... troc...
os que têm sedas e arminhos,
sonham, troc... troc... troc...
com seu par de tamanquinhos

%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%



O Mosquito Escreve
(Cecília Meireles)

O Mosquito pernilongo
trança as pernas, faz um M,
depois, treme, treme, treme,
faz um O bastante oblongo,
faz um S.


O mosquito sobe e desce.
Com artes que ninguém vê,
faz um Q,
faz um U e faz um I.

Esse mosquito
esquisito
cruza as patas, faz um T.


E aí, se arredonda e faz outro O,
mais bonito.


Oh!
já não é analfabeto,
esse inseto,
pois sabe escrever o seu nome.

Mas depois vai procurar
alguém que possa picar,
pois escrever cansa,
não é, criança?


E ele está com muita fome.


Minhas crianças, meus amores...Ser Criança é ser feliz

Meu neto Reginaldo
      
 Ser Criança é ser feliz,
     é estar feliz
                         sem nada diferente.          

     Apenas na alegria
                                  do brincar, sorrir 
                                             do cantar e ninar.

Ser feliz é ser Criança,
          ternura, teimosia, 
                  pureza, candura
                                    e doçura.



Minha neta Maria Eduarda

Criança... Feliz Dia...Viva a infância!!


DDIA 
 DA CRIANÇA
O dia da criança
não deveria ter data para recordar
pois todos os dias são dela
e disso deveriamos nos lembrar

a criança é a vida
a saúde mundial
sem elas não há alegria
e tudo deixa de ser especial

devemos deixá-las a sorrir
nunca as deixar a chorar
e sempre fazê-las divertir
com elas sempre a brincar


e não se esqueçam de uma coisa
nós todos somos uma crança
mas a decidimos guardar
por vergonha do que possamos fazer
por não termos idade para brincar


mas não liguem à idade
brinquem quando tiverem vontade de o fazer
porque se não brincam
a vida é só o trabalho que andam a fazer

não sintam vergonha de mostrar
a criança que sempre vão ter
assim o mundo seria de certeza melhor
porque em nada de triste se tinha tempo de pensar e fazer!!

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

A vida, pela minha netinha....

Ontem quando vi a minha netinha de cinco anos, pensativa, perguntei-lhe:
- O que você tem minha querida?
Ela prontamente respondeu-me:
- Estou pensando na vida, vovó!!
Pensando na vida!!! Levei um susto. Perguntei-lhe:
- Como é pensar na vida, que cor tem o seu pensamento?
Ela respondeu:
- Aí vovó pensando na vida da cor que ela é, e nas coisas que ela tem.  Pensando no papai e na mamãe que estão na rua e ainda vão chegar em casa.  Eu queria morar num lugar que não tivesse ladrão e que a gente pudesse brincar e sair na rua e não ter medo de nada. Eu quero morar com Jesus porque lá com ele não tem perigo.
Meu coração entristeceu na hora. Acalentei seu coraçãozinho com palavras de carinho e alegria, mas por dentro estava triste e  chorando.
Em que mundo estamos vivendo, onde uma criança inocente já tem o sentimento do medo, de viver e brincar tranquila.
Meu Deus, só o senhor pode nos proteger. Precisamos da sua proteção divina. Ofereço a vida dos meus netos, filhos, familiares, amigos e a minha vida ao Senhor!!



Salmo 24: Para fortalecer a fé e obter a misericórdia de Deus, pedindo proteção 


1 Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam.
 2 Porque ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios.
3 Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo?
4 Aquele que é limpo de mãos e puro de coração; que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente.
5 Este receberá do Senhor uma bênção, e a justiça do Deus da sua salvação.
6 Tal é a geração daqueles que o buscam, daqueles que buscam a tua face, ó Deus de Jacó.
7 Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória.
8 Quem é o Rei da Glória? O Senhor forte e poderoso, o Senhor poderoso na batalha.
9 Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória.
10 Quem é esse Rei da Glória? O Senhor dos exércitos; ele é o Rei da Glória.


Érico Veríssimo....foi um dos escritores brasileiros mais populares do século XX.

"Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de vento."





Érico Lopes Veríssimo
Érico Veríssimo em 1937
Nascimento17 de dezembro de 1905
Cruz Alta
Rio Grande do Sul
 Brasil
Morte28 de novembro de1975 (69 anos)
Porto Alegre
Rio Grande do Sul
 Brasil
Nacionalidadebrasileira
Ocupaçãoescritor
tradutor
Magnum opusO Tempo e o Vento
Caminhos Cruzados
Olhai os Lírios do Campo
Clarissa
       De família abastada que se arruinou, Érico Veríssimo era filho do farmacêutico Sebastião Veríssimo da Fonseca (1880-1935) e da dona de casa Abegahy Lopes (dita "dona Bega"). Tinha um irmão mais novo, Ênio (1907), e uma irmã adotiva, Maria. Quando tinha quatro anos de idade, Érico Veríssimo ficou gravemente doente e, após ser levado a vários médicos, foi finalmente diagnosticado com meningite complicada com broncopneumonia pelo médico Olinto de Oliveira, cujo tratamento salvou sua vida.          Durante sua infância, estudou no Colégio Venâncio Aires, em Cruz Alta, onde foi um aluno comportado e quieto, frequentava o cinema e observava o pai trabalhando. Por volta de 1914, com quase dez anos, Érico criou uma "revista", Caricatura, na qual fazia desenhos e escrevia pequenas notas.
         Aos treze anos, Érico já lia autores nacionais, como Aluísio Azevedo e Joaquim Manoel de Macedo, e estrangeiros, como Walter ScottÉmile Zola e Fiódor Dostoiévski.
Em 1927, Veríssimo conheceu sua futura esposa, Mafalda Halfen Volpe, então com quinze anos, e os dois ficaram noivos em 1929. Nesse mesmo ano, publicou-se o primeiro texto de Veríssimo: Chico: um Conto de Natal, na revista mensal "Cruz Alta em Revista". Em seguida, seu amigo Manuelito de Ornelas enviou os contos Ladrão de Gado e A Tragédia dum Homem Gordo à revista do Globo. E o jornalCorreio do Povo publicou o conto A Lâmpada Mágica.

          Em uma manhã de outubro de 1930, Érico despediu-se de seu pai Sebastião, que, engajado na Revolução de 1930, resolveu mudar-se para Santa Catarina. Foi a última vez que se viram.
Desempregado após a falência de sua farmácia, Érico mudou-se novamente para Porto Alegre, em dezembro de 1930, disposto a viver de seus escritos. Mafalda, sua noiva, permaneceu em Cruz Alta. Veríssimo então foi contratado como secretário de redação da Revista do Globo e, em seu tempo livre, encontrava-se com intelectuais da época, como Mário Quintana e Augusto Meyer, no bar Antonello, no centro da capital.
       Em 1931, Érico regressa a Cruz Alta, para se casar com Mafalda Volpe, e os dois passam a morar em Porto Alegre, onde Érico havia obtido certa estabilidade financeira. Eles tiveram dois filhos: Clarissa Verissimo (1935) e o também escritor Luis Fernando Verissimo (1936). O casamento deles foi bastante feliz, e Érico escreveu mais tarde que, sem a paciência e o bom-senso da esposa, sua carreira de escritor teria sido impossível.
Em 1933, Érico Veríssimo traduziu o célebre livro Contraponto (Point Counter Point), de Aldous Huxley, e publicou seu primeiro romanceClarissa, cujos sete mil exemplares foram vendidos em cinco anos. Seu segundo romance, Caminhos Cruzados, publicado em 1935, chegou a ser considerado subversivo pela Igreja Católica e pelo Departamento de Ordem Pública e Social, levando Érico a ser interrogado pela polícia a respeito de sua orientação política.

        Em 1936, Érico publicou dois romances que foram continuações de Clarissa: Música ao Longe, pelo qual ganhou o Prêmio Machado de Assis, e Um Lugar ao Sol. Além disso, ele criou, na Rádio Farroupilha, um programa infantil, O Clube dos Três Porquinhos, que saiu do ar quando o Estado Novo estava prestes a submetê-lo ao departamento de censura.

       Em 1938, Érico Veríssimo publicou sua primeira obra de repercussão nacional e internacional, Olhai os Lírios do Campo, que foi traduzido do inglês ao indonésio.
Cquote1.svgPosso afirmar que só depois do aparecimento de Olhai os Lírios do Campo é que pude fazer profissão da literatura.Cquote2.svg
— Érico Veríssimo


        Em 1940, depois do sucesso Olhai os Lírios do Campo, Érico Veríssimo publicou Saga, considerado pelo próprio autor como seu pior romance.

Em 1950, na praia de Torres, Érico Veríssimo começou a escrever o segundo volume de O Tempo e o Vento, intitulado O Retrato, publicado no ano seguinte. Foi descrito por Érico como literariamente inferior ao O Continente. Em 1952, novamente em Torres, Érico tentou escrever o terceiro e último volume da trilogia, mas acaba publicando Noite em 1954, que faz mais sucesso no exterior. No mesmo ano, é agraciado com o prêmio Machado de Assis, pela Academia Brasileira de Letras.

Em 1957, em Porto Alegre, Érico tenta mais uma vez escrever o último volume de O Tempo e o Vento, chamado O Arquipélago, mas acaba dando início a México, narrando sua viagem àquele país. Outra tentativa de finalizar O Arquipélago ocorre em janeiro de 1958, infrutífera. Em abril do mesmo ano, ele relata ter sentido algum problema no coração.

           Em 1961, Érico sofreu seu primeiro infarto do miocárdio. Após um repouso absoluto, volta a trabalhar na obra O Arquipélago. Quando decide viajar à Grécia com a esposa em 1962, Érico entrega O Arquipélago pronto para ser publicado. No dia 12 de outubro de 1963, vítima de câncer de pulmão, faleceu a mãe de Érico, aos setenta e oito anos. 
          Em 1973, publica o primeiro volume de Solo de Clarineta, sua segunda e ampliada autobiografia. O enfarte que vitimou Veríssimo em novembro de 1975 impediu-o de completar o segundo volume de sua autobiografia, programada para ser uma trilogia, além de um romance que se chamaria A Hora do Sétimo Anjo. No ano seguinte, foi publicado postumamente o segundo volume de Solo de Clarineta, organizado por Flávio Loureiro Chaves.
Por ocasião do falecimento de Érico, Carlos Drummond de Andrade publicou o poema A falta de Erico Verissimo.

Documentário sobre o autor


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.